quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009




22 comentários:

  1. Já postei dois comentários na forma de crítica, hoje vou tentar algumas sugestões.
    1-As linhas em alguns casos deveriam iniciar uma viagem a partir dos terminais, por condição e não por horário, explico, nas horas de pico, carro com lotação completa inicia a viagem, sem esperar a hora determinada para isto. Em horas de pouco movimento iniciar a viagem após todos os troncais (norte -sul, Itaúm centro, etc), terem chegado ao terminal, exemplo a linha que vai para o bairro, em um terminal qualquer sai as 20:15, mas o troncal ainda não chegou, aguarda-se a chegada deste para o inicio da viagem, ou o contrario o troncal chegou mais cedo, todos saem mais cedo do terminal.
    2-Instalar junto a algumas paradas, principalmente no centro, locais para venda de passagens.
    3-Criar em pontos estratégicos estações onde possa-se trocar de ônibus, por exemplo próximo a estação ferroviária, para que quem vem do norte e quer ir para o Itaúm, por exemplo, não precise ir para o já ultrapassado terminal central.
    4-Criar, a partir do terminal norte uma linha que atenda o Aventureiro pela Avenida Santos Dumont, com uma estação no cruzamento da Santos Dumont com a Tuiuti.
    5-Autorizar a vans a utilizarem os corredores para ônibus.
    6- Criar linha do Itaúm, Guanabara e outros terminais, que liguem estes terminais ao terminal norte.
    7- Estender a linha do Petrópolis até o terminal sul.
    8- Possibilitar que os donos de vans possam trocar bilhetes na Passebus, para evitar parte do comercio clandestino de passagens.
    8- Municipalizar a Passebus.
    9- Obrigar as concessionárias a apresentar e publicar a DRE (Demonstração de Resultado do Exercício).
    10- Programar, em linhas que apresentem muita lotação e em horários de pico, carros que não partam dos terminais, para possibilitar que os passageiros do percurso possam embarcar com mais segurança. Exemplo um Norte-sul ,partindo da Benjamin Constant para o sul.
    11- Baixar a alíquota do ISS para transporte coletivo para 0,1%.
    12- Criar com a câmara de vereadores uma comissão municipal para o transporte coletivo, com representantes de toda a sociedade.
    13- Gestão, pela pela prefeitura dos terminais e do tráfego, afastando das empresas esta tarefa. Hoje a prefeitura apenas fiscaliza.
    Espero estar ajudando.

    Espero estar ajundando.

    ResponderExcluir
  2. Sr. prefeito, está evidente que o nosso transporte público não atende mais a realidade e ao perfil de nossa cidade. Precisamos de mudanças urgentes, além de mais ônibus e linhas, precisamos de um novo tipo de transporte como Veículo Leve sobre Trilhos - VLT, consciliado com o eixo norte-sul, transporte atual e principalmente pensado nas pessoas. E como eu sei que você prefeito tem essa filosofia, estaremos aqui aguardando essas mudanças.

    Gilberto Gadotti Jr.
    Geógrafo

    ResponderExcluir
  3. Estamos percebendo que no conjunto da sociedade existem muitos agentes capazes de oferecer soluções e alternativas para a melhoria do transporte sem que necessáramente eles sejam do corpo técnico da Prefeitura.
    O que o Marcos apresenta não é uma simples opinião, é certamente fruto de observações mais precisas que merecem consideração pois são absolutamente pertinentes.
    Dentro da matéria publicada pela A Notícia há menção de que não foram apresentadas formulações ou sugestões específicas sobre a planilha pela sua óbvia complexidade. Mas é importante que se faça um registro. As planilhas colocadas à disposição no site estão em arquivo pdf, não podem ser analisadas como planilhas eletrônicas. Isto impossibilita ou dificulta em demasia qualquer analise mais profunda porque não se pode conhecer sua formulação nem seus índices ou coeficientes. Teria uma gama de perguntas a fazer, mas sem esta abertura é impossível. Então ficamos na posição de apenas opinar ou sugerir.

    Abram a planilha e seguirão recebendo informações bem mais precisas em específicas. A propósito, eu tenho uma dúvida sobre a origem da planilha. Se ela é o pedido que as empresas apresentaram ao poder público ela não deveria estar descaracterizada dos simbolos e cabeçarios da Prefeitura? Em contrário, da para entender que a planilha é fruto da administração pública. Afinal, a empresa Produzzi Consultoria e Sistemas presta serviços a quem?

    Por fim, as sugestões operacionais que o Marcos apresenta são tão lógicas que deveriam ser avaliadas com profundidade pela Prefeitura, agora fico a pensar se a Prefeitura esta apta e preparada para avaliar isto tudo em tão breve espaço de tempo?

    Gostaria ainda de acrescentar as sugestões do Marcos para que o GTRANs, que hoje tem apenas representantes das empresas concessionárias e do poder público, passasse a ter representantes da sociedade civil, usuários, entidades empresariais, laborais, de profissionais da engenharia e arquitetura e de organização não governamentais ligadas a acessibilidade.

    Esta seria uma demonstração inequívoca de que o processo de priorização ao transporte coletivo pela administração municipal venha a ser colocado em marcha.

    Assim como o Marcos, espero estar contribuindo para um debate sadio de busca de soluções.

    ResponderExcluir
  4. Quem fabrica os pneus usados no ônibus de Joinville devem possuir respostas para indagações como:

    Qual a vida média dos pneus para cada tipo de ônibus levando em consideração o tipo de pavimento onde ele rodará (asfalto, paralelepípedo e ruas sem nenhum tipo de pavimento)?

    ResponderExcluir
  5. Incluo ainda nas propostas apresentadas pelo Marcos (acima) + uma:
    14 - Desativação completa do terminal urbano central, criando pontos de transbordo espalhados pelo centro e imediações. No local desse antigo terminal deveria ser criado um enorme prédio de estacionamento gerenciado pela Prefeitura (Conurb) ou então uma extensão da Praça da Bandeira...

    ResponderExcluir
  6. Moro no bairro Jardim Iririú, bairro esse que tem como moradores diversos motoristas de ônibus, fiscais, etc., das duas Empresas (Gidion e Transtusa). Conversando com um motorista nesta quinta-feira (26/02/2009), perguntei como está a pressão das empresas sobre a Prefeitura, a respeito do aumento das passagens de ônibus. A resposta não poderia ser pior:

    Segundo esse motorista (que o nome não vou revelar) as empresas estão incentivando (pra não dizer obrigando) os funcionários a iniciarem uma GREVE para as próximas semanas!!! PARAR TUDO, GERAL!!!. Ainda segundo esse motorista, essa greve irá servir apenas para pressionar ainda mais o Prefeito Carlito Merss a assinar o aumento das passagens de ônibus.

    Bom, espero que essa informação não passe de mais um boato. Mas não ficaria nem um pouco impressionado se isso realmente ocorresse. Imagine: A maior cidade do Estado com o transporte coletivo parado!!! Milhares de pessoas tendo que ir para o trabalho a pé (ou nem indo...), milhares de pessoas precisando ir a consultas marcadas em ambulatórios e hospitais sem transporte, milhares de alunos sem transporte para ir ao colégio/faculdade... Imagine a opinião pública pressionando o prefeito para resolver esse problema sem o aumento das passagens...

    Sei que posso estar sendo dramático demais... Mas não duvido que isso possa ocorrer realmente. Vamos aguardar para ver o que acontece...

    ResponderExcluir
  7. Prefeito Carlito!

    Quero frisar novamente a grande importância deste Blog pois vejo segmentos da mídia tentando ridicularizar este canal como uma pretensa ferramenta de soluções definitivas ou como espaço de cidadãos incautos e prolixos fazerem digressões infinitas postergando soluções viáveis e pragmáticas...

    Vejo neste Blog a útil missão de aproximar nós das decisões municipais, perceber as duvidas e sugestões populares, a despeito destes “corneteiros” desejo que sua equipe em outros setores do governo municipal também adotem mais canais semelhantes, o povo quer ser ouvido, quer sentir que suas necessidades são avaliadas para o senhor tomar sua decisão Prefeito! obrigado por este canal!!!! Queremos mais canais!!!!

    Vi aqui excelentes sugestões de diversas pessoas que vão desde detalhes sobre a planilha de custos até uma possível estatização do sistema de transporte, estou aprendendo muito com as sugestões das reportagens postadas e com os comentários de especialistas que aqui se manifestam... estou aprendendo muito aqui sobre mobilidade, políticas de incentivos ao uso do transporte publico, transporte urbano e afins...

    Sei que mais cedo ou mais tarde o senhor talvez terá que tomar alguma decisão impopular mesmo que temporária, porém para os que torcem pela cidade de Joinville sempre interpretarão com inteligência estas inerentes contingências que um chefe do executivo as vezes tem que encarar, e jamais isto ofuscara o brilho de todo um governo que tem um plano historicamente compromissado com as necessidades populares...

    Como muitos outros cidadãos desta cidade estou ansioso para que suas ações do plano de governo sejam logo e já colocados em pratica, sem desculpas burocráticas se referindo a atual conjuntura econômica mundial, aos possíveis erros e desleixo da gestão anterior, ou de enlaces confusos a se resolver na contabilidade municipal....
    queremos obras já e reformas administrativas que decentralizem a gestão, amplie os horários de atendimento e de celeridade e transparência a todos os processos municipais, ha pelo menos quinze anos de demanda e planejamento em Joinville para se por em dia, seja no transito, no turismo, na saúde, na cultura, na administração, nos bairros pobres e educação profissionalizante... estamos cansados de ver ações somente em ano eleitoral, contudo sei que tudo tem seu tempo e a maquina publica mesmo tendo dinheiro custa a “pegar no tranco”, mas estamos aguardando, as cobranças chegarão.... conto com o senhor Prefeito!!! o povo de verdade também quer participar e ajudar!!!!

    Leandro F. da Silva
    Bairro Jarivatuba
    leandrojoinville@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Estou voltando agora de férias e não sei bem o que tem acontecido, mas tenho uma pergunta, e me desculpem se parecer imbecil e impertinente, mas por quê só Gidion e Transtusa. Temos a impressão que têm concessão perpétua neste serviço de Transporte Coletivo Urbano. Por quê não outras empresas? Por quê não romper esse contrato "perpétuo" e abrir licitação pra que outras empresas possam oferecer seu serviço? A concorrência talvés fizesse com que tivéssemos preços melhores, não é?

    ResponderExcluir
  9. Uma sugestão para avaliar os preços cobrados pelas empresas de ônibus, seria ir a procura dos fabricantes dos chassis e motores dos veículos utilizados. Verificar junto a elas, quanto quilômetros os ônibus em Joinville fazem com 1 litro de óleo diesel. Para isso, também e interessante levar em conta as características geográficas da cidade, ou seja, plana em praticamente toda sua extensão.

    ResponderExcluir
  10. A planilha de custos apresenta muitos dados de difícil compreensão. Provavelmente tenha sido elaborada assim intencionalmente, justamente para dificultar o entendimento por parte das pessoas mais humildes. Uma maneira mais simples para facilitar o entendimento de qualquer pessoa deve ser adotada antes de qualquer outra discussão. Questões importantes como por exemplo: o custo do pneu e do combustível influem no preço da tarifa? Depois de devidamente decifrada, a planilha deveria ficar em exposta nos terminais, para maior transparência e eliminação de todas as dúvidas. Espero que o prefeito Carlito faça isso. Pela qualidade dos serviços acho a tarifa muito alta, deveria custar bem menos. A tarifa já é cara. Carlito se não for possível baixar o preço pelo menos não aumente.

    ResponderExcluir
  11. Eu acho que muito dinheiro quase 200 mil por mês gastos com o Passe Bus. Acho que é necessário melhores explicações por parte das empresas. Onde e como esta grana é utilizada?

    ResponderExcluir
  12. Até hoje, nos horários em que utilizo os ônibus da Trantusa e Gidion, não conseguir fazer uma só viagem descente. Sempre lotados. É muita gente espremida. Uma qualidade péssima. Entendo que houveram muitos aumentos e até hoje a qualidade não melhorou. Isso sem contar com os muitos motoristas despreparados que chegam a furar sinal vermelho. Prefeito! Não ao aumento.

    ResponderExcluir
  13. Dorvalino Pereira Costa2 de março de 2009 01:17

    Sei que esse não é o espaço para discutir outros aumentos, mas, enquanto ainda não criaram um blog para discutir o aumento da água, ouso em aqui deixar meu registro. É claro que não devem aumentar a passagem do ônibus e também não devem aumentar o preço da água. Creio que o aumento pretendido pelas Cia Águas de Joinville, seja bem mais fácil de ser negado pelo prefeito, já que a empresa é da prefeitura.

    ResponderExcluir
  14. Parabéns Carlito. Faça outros blogs, para dicutirmos PPA, LDO, LOA, Licitações e outros assuntos de importantes. Minha Única crítica é que nem todos meus comentários foram postados, porque? não menti, não xiguei ninguem, não fui mau educado e etc, apenas algums vezes divergir de algumas posições, isso não é crime ou é? ao contrário é democracia. Quero que o Carlito me responda esta Pergunta. Se possível postem tudo, quero ler a opinião de todos, acho que é muito salutar.

    ResponderExcluir
  15. BEm, conforme foi comentado acima por "nois dois" sobre ser somente a gidion e transtusa, que na minha opinião é a mesma empresa um monopólio, tenho uma observação bem simples, como que em uma cidade como São Paulo a passagem de ônibus é mais barata que aqui em joinville, levando em consideração que la as distâncias percorridas pelos ônibus são bem maiores, além de o trânsito ser bem mais caótico. Bem se la eles conseguem se manter com um valor mais baixo acredito que aqui também seja possível, sem contar que joinville é uma cidade maravilhosa onde o transporte coletivo não sofre ação de marginais que queimam os ônibus, pulam a catraca sem a menor vergonha. Então vamos baratiar a passagem e não aumentar, utilizar estas sugestões dadas pelas pessoas que mais entendem de transporte coletivo aqui na cidade os usúarios que so querem poder chegar aos seus destinos o mais rápido possivél, pois para melhorar você tem que analisar o dia a dia, e não se fechar num escritório e discutir planinlhas,as pessoas que pedem o aumento e decidem se aceitam não utilizam o coletivo, não sofrem com o ônibus lotado nos horários de pico.
    O momento é este de melhorar, senão o que vai acontecer é joinville ter um transporte coletivo pouco eficiente, as ruas cada vez com mais carros e principalmente com mais motos, e o que é pior sendo pilotadas por pessoas com pouca habilidade onde o objetivo da moto é simplismente diminuir os gastos com transporte, ja que sai mais barato você andar de moto do que de ônibus, uma comparação básica se você sair do costa e silva, ate o centro são em média uns 7 km, ida e volta você gasta 14 km, uma moto 125cc faz 28 km por litro, então com uma passagem so de ida você consegue de moto ir e voltar duas vezes ate o centro.

    ResponderExcluir
  16. Em relação ao possível e provável aumento da passagem de ônibus, sou radicalmente contra, já que sou estudante e é uma vergonha Joinville não disponibilizar o passe estudantil, que em muitas cidades para o estudante esse preço cai pela metade.
    Acredito que Joinville deveria investir mais na educação, o que inclui a passagem de ônibus.
    No meu caso, são 2 passagens por dia, os 5 dias da semana. E o que me revolta também, é a exclusão da Linha SUL/TUPY. Faço faculdade na Sociesc do Boa Vista no período da manhã e não tem nenhum ônibus que vá direto para lá, ao contrário da Univille e da Udesc, que de quase todos os terminais saem ônibus exclusivos para essas universidades. E na Sociesc não é só a faculdade que utiliza ônibus, o número de estudantes que saem do terminal sul é enorme e sempre há o transtorno de descer no terminal do centro para pegar outro ônibus que vá para a Tupy. No meu ver a divisão dessas linhas em nada agilizou, pois tenho que ficar esperando outro ônibus, muitas vezes porque o motorista da Linha Tupy, não espera o ônibus do Sul chegar à plataforma, assim perdemos o ônibus que estava ali, por falta de bom senso do motorista.
    Gostaria que analisassem a possibilidade de colocar novamente a Linha SUL/TUPY, ao menos nos horários da entrada e saída de aula pra quem estuda na Tupy(Sociesc) do Boa Vista, seria mais ágil e mais confortável, tanto para quem estuda lá e para quem vai apenas do centro à tupy, já que não haveria superlotação nesses horários; e também sobre a passagem para estudante, uma briga antiga, mas que faz parte dos direitos do estudante.

    Ana Paula da Silva
    Estudante - Arquitetura e Urbanismo

    ResponderExcluir
  17. Hoje utilizei o ônibus e verifiquei que as empresas já estão utilizando o sistema em que para a passagem embarcada não é mais utilizado o bilhete.
    Bem as empresas realmente não são sérias, se eu quiser comprar dois ou mais não posso, o motorista já sobre carregado tem agora também liberar a catraca, (não é melhor um cobrador), neste caso estão colocando em risco a segurança do transito e dos usuários, se esta medida prevalecer o valor da passagem embarcada deve ser igual ao valor da antecipada, os usuários também devem ter algum ganho, detremine isto Sr. prefeito. O sistema de bilhetagem esta sendo alterado única e exclusivamente por interesse das empresas, pois querem que os créditos obtidos como vale-transporte sejam também utilizado em farmácias, mercados, etc. , desvirtuando a utilização do vale-transporte, esta utilização como cartão de debito é ilegal, e pode levar a demissão do trabalhador.
    Sr Carlito, Sr Nelson Trigo, esta na hora de mostra a estas duas empresas que é a prefeitura que manda, esta forma de venda embarcada é abusiva, por favor determinem a volta da forma antiga. Não sei como proceder e não tenho tempo, pois minha vontade é acionar o ministério publico para reverter esta forma de venda embarcada, alias alguém sabe como se aciona o ministério publico? Pois em minha opinião esta na hora de agirmos de forma organizada e objetiva contra as duas empresas.
    Como curiosidade o prefeito e os secretário acessam este blog para ver o que esta acontecendo?

    ResponderExcluir
  18. Antonio Carlos Picolli3 de março de 2009 21:10

    Matéria bem interessante publicada no site da Gazeta de Joinville. Não sei porque não entrou nesse espaço de discussão. Caso queiram enriquecer o debate ai vai o link:


    http://gazetadejoinville.blogspot.com/2009/02/para-forcar-aumento-empresas-inventam.html

    ResponderExcluir
  19. Continuando o assunto de ontem....
    Como na venda de passagem embarcada não há mais a emissão do bilhete, esta venda para o sistema não existe, então fica fácil sonegar os impostos, ministério público fique atento pode estar havendo sonegação de impostos.
    Por falar em sonegação, as empresas estão recolhendo corretamente o valor dos impostos, estão declarando o total de passagens embarcadas que estão sendo vendidas, ou apenas recolhem os impostos como se todas as passagens fossem de R$2,05 e não recolhem o valor sobre o R$2,50 das vendas embarcadas.
    Mais uma vez vale à pena verificar, então acho que o ministério público tem algo para investigar, e no máximo veremos que as empresas são honestas.....

    ResponderExcluir
  20. Marcos Bustamante5 de março de 2009 11:28

    Prezado xará Marcos e demais leitores deste blog.
    Percebo quão atentas e precisas são suas observações. Todas exatas e pertinentes! Sei disto por ter sido responsável por quase dez anos à frente do Núcleo de Transportes da PMJ, quando iniciamos uma fértil trajetória de organização do sistema, lamentavelmente anestesiada nas últimas gestões municipais. Mais adiante vou a cada dia, gradualmente, tentar relacionar novas contribuições.
    Hoje quero especificamente abordar um aspecto que me causa indignação face à manipulação com que é tratado. Embora não seja novidade, muita gente não sabe e ainda não se ateve ao seu potencial.
    Você(s) sabia(m) que desde que os cobradores saíram e a bilhetagem eletrônica foi adotada (2001) todos os passageiros poderiam utilizar seus bilhetes para trocar de ônibus embarcando novamente em qualquer ponto de parada da cidade sem ter que pagar novamente e sem precisar entrar em qualquer terminal ou estação? Sim, isto porque o equipamento de controle junto às catracas (pago pela tarifa, isto é, pelos usuários) pode ser programado para admitir nova liberação de catraca em qualquer tempo que se queira predeterminar. Quer(em) uma prova? Linhas de Pirabeiraba e do Glória, por exemplo, usam este sistema, apenas porque ali é conveniente à operadora. Abram o site das operadoras (antes que apague por qq falha) e verifiquem que isto já é utilizado a tempos neste nosso sistema, mas não a favor dos usuários.
    Imagine(m) agora, todos cidadãos usuários poderem livremente escolher suas trajetórias mais eficientes, racionalizar seus percursos e horários, administrando de acordo com sua necessidade o recurso investido ao pagar a passagem.
    É possível imaginar a população não ter que se encurralar num cercado no centro da cidade para embarcar num ônibus? Nem mesmo nos bairros? Quem pode querer continuar com isto? Quanto tempo mais vamos ter que esperar?
    Esta é uma decisão política, não técnica. Pode ser adotada imediatamente. A prova está vigente onde é conveniente às permissionárias que abusam de suas atribuições apenas por omissão do Poder Concedente Municipal.
    Continuo acompanhando a evolução deste exercício democrático de manifestação popular, na expectativa de que os usuários sejam tratados com respeito e dignidade e que deslocar-se nesta cidade se torne momento de prazer e bem estar.
    Até breve
    Marcos Bustamante

    ResponderExcluir
  21. Aproveito o comentário do Bustamente e adiciono a seguinte matéria veiculada no site http://www.vtefortaleza.com.br/site/Forms/Noticias/Noticia.aspx?Id=43 que trata da integração temporal já em operação na cidade de Fortaleza. A propósito, Fortaleza pratica a tarifa mais barata das capitais do Brasil e tem um sistema semelehante ao nosso já com muitas novidades em prática. vale a pena conhecer. Sugiro aos nossos técnicos do IPPUJ e Seinfra a conhecerem a história recente do transporte de Fortaleza. Enfim, segue a matéria:

    "Integração Temporal

    Fonte: VTE Fortaleza

    O SINDIÔNIBUS investiu R$ 12,4 milhões em hardware e software com a estruturação do Sistema de Bilhetagem Eletrônica e a conseqüente implantação do projeto da Integração Temporal de Transportes, lançado pela Prefeitura. Somente através da instituição pelo Sindiônibus da tecnologia do Vale Transporte Eletrônico (VTE), tornou-se possível viabilizar o sistema com a utilização de até três sequências de integração gratuitas e somente um débito de tarifa.

    A Integração Temporal permite que os usuários de transportes se desloquem por toda a cidade pagando uma única passagem, sem a necessidade de passar pelos terminais de ônibus, desde que respeitando-se um tempo pré-determinado. Atualmente são 252 mil usuários utilizando ativamente o cartão VTE Vermelho. O cartão cinza, que corresponde ao chamado cartão avulso, é utilizado por 42 mil usuários. Já encontram-se em utilização no Sistema de TeleAtendimento do SINDIÔNIBUS (4005.0956) softwares informativos contendo todos os dados da Integração Temporal, permitindo aos usuários do Sistema de Transportes fazerem consultas e cadastrarem sugestões e reclamações sobre mais este Projeto vitorioso da Prefeitura Municipal de Fortaleza."

    ResponderExcluir
  22. Ainda a integração temporal. Cidades que opeream com este sistema

    - Fortaleza desde 2007
    - São José dos Campos desde 2004.
    - João Pessoa desde 2008.
    - Campo Grande desde 2007

    E olha que nós iniciamos com a bilhetagem antes destas cidades todas. Portanto, é necessário mudar a forma de operação e utilizar a tecnologia disponível e já paga. É bom para os usuários, é bom para a mobilidade, será bom para as empresas operadoras. A repartição de receita é o entrave que não faz isto ser implantado. Então é necessário que o Poder Público tome a atitude e exija que isto aconteça.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua contribuição neste debate público. Em breve estaremos disponibilizando a sua opinião. Aguarde!